16.1.08

Português de Portugal

O português não tolera que o corrijam mesmo que esteja redondamente enganado.
O português não deixam que chamem o filhote à atenção mesmo que o filhote esteja a berrar e a bater com os pés na cadeira da frente, incomodando as outras pessoas.
O português não se importa que, para deixar o filhote no ultimo degrau da porta da escola (Liceu Francês Charles Lepierre), faça uma fila descomunal impedindo a passagem de carros e transportes públicos. Estão num autocarro, numa única faixa, em hora de ponta a caminho do trabalho? Paciência, esperem.
O português acha que a nova lei do tabaco é injusta e prejudica mais que beneficia.
O português acha foi criado um complot contra si e contra todos os condutores quando recebem multas SÓ porque andam a 80kms numa zona de 50kms (o que quer dizer "limite de velocidade", mesmo?): "É a caça à multa!" diz ele...

O português tem memória curta.
O português é comodista.
O português é burro.

5 comments:

Ricky said...

Lá andamos nós "intermitentes"...
...desta feita, não vou concordar... pelo menos a 100%.

Um dia destes, uma amiga interpelou-me atónita pelo simples facto de um membro deste blog poder discordar de um post de um outro membro... chama-se liberdade! :)

Parêntesis à parte...
Em primeiro lugar, não concordo porque muito sinceramente não considero o português burro. No entanto, ele é bastante comodista e tem a memória curta!!

E, no que respeita aos limites de velocidade, muitos deles parece que foram criados apenas como forma de poder "caçar" mais umas multas... existem estradas com 3 faixas de rodagem em que o limite são os 50 kms/h - não só me parece que é caça à multa, como, ao que tudo indica, não é licito.

Quanto à nova lei do tabaco peca por ser tardia... e nada mais! ;)

baci
*Ricky*

Pedro Rodrigues said...

Humm! Português tem a mania que é esperto, logo, por definição, é burro.

Também aquelas pessoas que são atropeladas nas passadeiras em Lisboa concordam com o Ricky, os limites são só para caçar multas.

Alexandre Vilarinho said...

lol

Estiveste bem, Pedro :D
Lisboa, que eu saiba, tem estradas se calhar até com 5 ou mais faixas mas se estás numa zona com indíce populacional elevado (A.K.A. localidade), tens um limite de velocidade. Tens que praticar uma condução defensiva para, deste modo, melhor poderes controlar a tua viatura (neste caso, em faixas semaforizadas, cedências de prioridade e outros). Ou seja, até podias ter 20 faixas...

Beijinhos

Pedro Rodrigues said...

LOL.

Mas é a maneira de pensar dos tugas. Basta olhar para quem nós escolhemos para nos governar:

Estrada com duas faixas? É para meter portagem! :D

Ricky said...

"Também aquelas pessoas que são atropeladas nas passadeiras em Lisboa concordam com o Ricky, os limites são só para caçar multas."

Fica bem em qualquer lápide - "Aqui jaz Fulano Tal que morreu atropelado na passadeira mas com razão" lol.

Não digo que não hajam excessos... existem - assim como existem pessoas que passam nas passadeiras mas com o semáforo vermelho para os peões e aquelas que nem sequer passam nas passadeiras...

...na minha modestissima opinião, tem que imperar o bom senso!! ;)